segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Controle da natalidade e proteção do meio ambiente.

Um estudo divulgado pela London School of Economics (LSE) sugere que o controle da taxa de natalidade é uma forma muito mais eficiente de cortar as emissões de carbono que poluem o meio ambiente.

No trabalho intitulado “Menos emissores, menos emissões, menos gastos”, a equipe de especialistas da universidade britânica conclui que o planeta ficará mais protegido se o número de nascimentos diminuir.

A pesquisa indica que para cada 4 libras (R$ 12) gastas com planejamento familiar e métodos contraceptivos, é possível diminuir a emissão de gases em uma tonelada. Em contrapartida, para obter o mesmo resultado investindo em tecnologias ecológicas, são necessárias 19 libras (R$ 57).

Ao mesmo tempo, nesta quinta-feira, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, anunciou a criação de um novo imposto sobre a emissão de dióxido de carbono.

Com a medida, a França passa a ser a primeira grande economia do mundo a introduzir o imposto. A nova taxa vai incidir sobre petróleo, gás e carvão. O governo deverá cobrar 17 euros (o equivalente a cerca de R$ 45) por tonelada de dióxido de carbono (CO2) emitida.

O imposto se aplicará a residências e a empresas, mas não a indústrias pesadas e do setor energético que estão incluídas no esquema de comércio de emissões da União Europeia. (Fonte: BBCBrasil)

O que você acha do controle de natalidade como forma de preservar o meio ambiente? Você concorda com a iniciativa da França? Acha que a Índia deve fazer o mesmo? E o Brasil?

Professor Marcelus
:)


22 comentários:

  1. Na realidade eu acho uma boa essa de controle de natalidade, mais isso de cobrar impostos de pessoas e não de empresas é uma palhaçada porque os que mais poluem são as grandes empresas que emitem alto nível de dióxido de carbono(CO2), no meu ponto de vista, não só a Índia ou o Brasil mais, todos os países devem fazer esse controle de natalidade para pelo menos tental de alguma forma controlar esse elevado nível de poluição no mundo.

    ResponderExcluir
  2. Victória Baruselli 2º CM 2terça-feira, outubro 20, 2009 5:51:00 PM

    Acredito que o controle de natalidade pode trazer benefícios principalmente em países populosos e subdenvolvidos, como a Índia e o Brasil, ao reduzir principalmente a população pobre e sem instrução, que geralmente apresenta as maiores taxas de fecundidade. Além de benefícios na qualidade de vida, segundo a London School of Economics, a redução da natalidade pode diminuir as emissões de carbono na atmosfera de forma barata. Deve-se tomar cuidado, porém, para não haver decréscimo da população, como ocorre em alguns países europeus, em que a P.E.A. diminui, criando problemas para a sustentação dos idosos e do país. Penso que a iniciativa francesa é efetiva, já que impostos sobre as emissões farão com que elas diminuam e com que conscientize-se a população, se não pela causa ecológica, pela causa financeira. Deveria ser um projeto adotado pela maioria das nações, inclusive Índia e Brasil, como ao menos uma tentativa de reduzir a poluição e salvar o planeta de sua degradação.

    ResponderExcluir
  3. O controle da natalidade pode sim ser usado como forma preventiva do meio ambiente, mas estando ciente de fazê-lo da forma correta, pautando-se de um planejamento adequado e de como lidar com as consequências que podem ser oriundas desse processo. Por exemplo, de imediato a consequência seria uma redução da PEA. Vale ressaltar também que diminuirá principalmente a população de baixa renda, que apresenta maior taxa de natalidade, o que seria bom para melhorar o país.
    De fato, uma menor população mundial -> menor consumo e produção -> menos emissões de gases tóxicos na atmosfera, menos poluição -> menos problemas ambientais...
    A iniciativa francesa é realmente satisfatória, pois somente no âmbito econômico as emissões reduzirão, sendo que esses impostos arrecados sobre essas emissões podem ser aplicados para restaurar o meio ambiente ou aplicados em saúde, educação, etc.
    Para países com o Brasil e a Índia, que apresentam enormes populações deveria ser aplicado também, afim de consumir menos, produzir menos, poluir menos, destruir menos...

    ResponderExcluir
  4. O controle da natalidade pode ser usado sim, entretanto, ciente do que está se fazendo e das consequencias que isto pode acarretar.
    À despeito da iniciativa da França, por um lado é bom, pois com menos pessoas existirá uma emissão menor de gases tóxicos na camada de ozônio. Todavia, com menos pessoas no mundo, a perpetuação da espécie humana, de pouco em pouco, vai se sentir ameaçada.
    Sim, se a Índia e o Brasil diminuirem um pouco na natalidade, os países se desenvolverão mais e emitirão menos gases tóxicos, assim, obteendo uma qualidade de vida melhor.

    ResponderExcluir
  5. Graziela P. Viol - 2° CM 1sexta-feira, outubro 23, 2009 4:46:00 PM

    O controle de natalidade aparentemente pode ser uma medida que reduz a emissão de gases poluentes, principalmente, do ponto de vista econômico, contudo vários fatores e questões devem ser consideradas. Como, por exemplo, o controle de natalidade se depara com questões culturais, religiosas e pessoais, cabendo à família decidir o número de filhos que desejam ter. Além disso, vale lembrar que pensar em medidas simples de prevenção evitando o consumo excessivo no momento atual é de grande valia para obter um resultado satisfatório a curto prazo, visto que o problema já está instalado.
    A iniciativa da França visando a reduzir as emissões de CO2 é de grande importância, porém não deve se ater a apenas residências e a empresas, mas sim a outros setores da economia e às indústrias em geral. Tal iniciativa seria significativa ao se estender aos demais países, como a Índia (devido à densidade demográfica e à concentração industrial) e o Brasil que já caminha a passos largos rumo a uma grande potência do ponto de vista social e econômico.

    ResponderExcluir
  6. Sérgio Dall'Oca - 2CM1sábado, outubro 24, 2009 9:15:00 AM

    O controle de natalidade é um conceito muitas vezes difícil de implantar e de controlar, mas é a forma mais eficiente dos países que já têm uma superpopulação ou pouco território de dar uma melhor qualidade de vida a sua população.
    De acordo com o artigo, controlar a natalidade é uma forma de preservar o meio ambiente. É um tremendo absurdo concordar com isso. Depois séculos destruindo, maltratando a natureza e a camada de ozônio, eles, os professores da faculdade de London School of Economics, afirmam que a natalidade é um vilão para as emissões de dióxido de carbono? Isso é desculpa para camuflar a eliminação de CO2 das potências mundiais.
    Todos estão mais do que carecas de saber que os maiores vilões para a camada de ozônio são as queimadas, os gases eliminados pelas chaminés das fábricas e a queima do petróleo. Então, como um país desenvolvido, que também elimina gás carbônico aos montes, diz que a culpa é do nascimento dos humanos? O correto é que os governantes dos maiores emissores de CO2, como os EUA, devem investir em melhorias para automóveis e em combustíveis alternativos não apenas jogar a culpa no nascimento dos humanos.
    O imposto sobre o gás carbônico eliminado deve ser cobrado sim, mas às empresas que não estão de acordo com as especificações de conservação da natureza, caso contrário não seria justo cobrar de uma empresa que investiu em melhorias para a menor eliminação de CO2. Com certeza deve-se cobrar em todo e qualquer país esse imposto, pois não deixa de ser uma forma de conscientização.

    ResponderExcluir
  7. Fiamma Tizuka Kian - 2 CM 1domingo, outubro 25, 2009 11:55:00 AM

    Acredito que diminuir a natalidade não é uma forma de preservar o meio ambiente. Apesar de achar importante ter um controle de natalidade em países populosos como a Índia e o Brasil. Mesmo com tantas tecnológias, tanto desenvolvimento encontramos muitas dificuldades para preservar o ambiente. Com pouco investimento, pouco apoio, e poucas matérias-primas baratas, os produtos que buscar preservar o meio ambiente acabam custando caro, como por exemplo o carro elétrico (com bateria de lítio) ou o carro solar. Dizer que controlar a natalidade é uma forma de preservar o ambiente é o mesmo que dizer pra diminuir a população de vacas para evitar emissões metano. Indústrias e fábricas do mundo inteiro poluem o meio ambiente e parecem pouco se importar, a falta de leis rígidas e as promessas não cumpridas no protocolo de KYOTO (1997) demonstram o descaso do mundo com o ambiente em que vivem. Arranjar "desculpas" para "fingir" que estão preocupados com o ambiente não vai ajudar em nada. É preciso ter conscientização e punições das fábricas, mas isso faria com que todos perdessem lucros e nesse mundo capitalista quem quer perdem lucros?

    ResponderExcluir
  8. Geovanna M. Scanferla- 2 CM 2segunda-feira, outubro 26, 2009 10:17:00 PM

    O controle de natalidade é um método eficiente na diminuição da emissão de CO2 apenas em países que sofrem com o elevado número de habitantes por m², como o Índia. Porém a emissão desse gás não é feita apenas por países populosos, países com o índice populacional controlado são os principais emissores de CO2. Esse controle reduzirá uma pequena parte da emissão de carbono no mundo. Os impostos na França, será uma medida eficaz na redução de CO2 no país. A maioria da polulação mundial só preservam e cuidam do que esta relacionado com o dinheiro.

    ResponderExcluir
  9. Julia Correa Gomes, 2º CM 1terça-feira, outubro 27, 2009 1:11:00 PM

    Radicalmente dizendo, é o humano que sempre destruiu e destrói o meio ambiente, então se houver menos seres humanos, vai haver menos problemas ambientas, já que reduziria a produção, pela menor número de consumidores.
    Eu concordo com a iniciativa da França e acho que todos os paises precisam implantar essa medida imediatamente, junto com outras se necessário, já que ninguém consegue se concientizar quando não afeta o próprio bolso, os impostos seriam medidas importantes. Porém, esses impostos devem ser cobrados a todos sem exceções, incluindo sobretudo as empresas e indústrias e deveriam ser elevados de acordo com o aumento da poluição.

    ResponderExcluir
  10. Amanda Gabriele Gobbo Kuhn 2Cm1terça-feira, outubro 27, 2009 3:01:00 PM

    Em países populosos, como a India e o Brasil e muitos outros deveriam ter como lei de controlar a taxa de natalidade, isso ajudará preservar o meio ambiente no mundo inteiro, com menos população haverá menos destruição e diminuir a emissão de gas carnonico na atmosfera.
    Concordo com a atitude da França pois serve de exemplo para outros paises desevolvidos ou nao.
    O imposto é necessário para que as empresas tomem um iniciativa forçada a prevervar o meio ambiente contra o laçamento de CO2,colocando filtros em suas propriedades para que ocorra a diminuição.

    ResponderExcluir
  11. O controle da natalidade pode ser uma forma muito eficiente de melhorar a qualidade e as condições de vida nos países, principalmente nos subdesenvolvidos e populosos, como a Índia, e também no Brasil; e, como também ajudaria a preservar o meio ambiente, torna-se mais importante ainda.
    Sobre o novo imposto cobrado na França, acho que ele realmente ajudará a diminuir as emissões de dióxido de carbono, mas também deveria ser cobrado nas indústrias pesadas, que são as maiores responsáveis por essas emissões. É uma medida que deveria ser adotada por todos os países.

    ResponderExcluir
  12. o controle de natalidade em paises desenvolvidos, onde pode faltar mão-de-obra pelo envelhecimento da população é arriscado e vai acentuar mais a piramide etaria de base menor desses paises, já o imposto é correto, porem se cobra as pessoas, mais justo cobrar mais ainda as grandes empresas que poluem de verdade

    ResponderExcluir
  13. (continuando, eu esqueci de falar da India e do Brasil)

    A India precisa de controle de natalidade de qualquer jeito, tanto melhor se ajudar a combater a emissão de CO2, assim como a China, no Brasil é melhor investir mais em pulir menos do que colocar a culpa no excesso de pessoas

    ResponderExcluir
  14. Com a natalidade sendo controlada os países subdesenvolvidos, como Brasil e Índia, podem sair beneficiados já que sua população irá diminuir e, como as pessoas que mais tem filhos são de renda baixa, por não terem instrução, por exemplo, seram menores. Porém, é necessário ter cuidado para que a população de jovens não seja inferior ao dos idosos porque assim faltará mão-de-obra e o país 'regredirá' economicamente.
    Fazendo isso,segundo a LSE, a emissão de CO2 será menor,e o Meio Ambiente será preservado. A atitude que a França tomou parece ser efetiva já que muitos pensarão em não ter filhos para não pagarem impostos. Essa medida deveria ser tomada por vários países subdesenvolvidos, e com um grande número populacional.

    ResponderExcluir
  15. Acredito que esse controle de natalidade para o Brasil e para a Índia que são países subdesenvolvidos, ajudaria em alguns aspectos, pois as família de baixa renda, que são as que mais geram filhos, iriam diminuir ajudando um pouco na sustetação familiar. Haveria uma desvantagem, porque se a taxa de natalidade dimunir, a mão-de-obra, consequentemente, iria se tornar um pouco escassa com o decorrer do tempo, pois terá mais idosos do que jovens.
    A criação desse novo imposto na França é um método vantajoso já que a taxa de natalidade iria diminuir, para que nao precisassem pagar taxas a mais; mas discordo do fato de não aplicarem esse imposto nas empresas pesadas, pois elas são as que mais emitem dióxido de carbono.
    Essa ideia de pagar pelo CO2 liberado é uma idéia que deveria ser adotado por todos os países.

    ResponderExcluir
  16. O controle da natalidade pode até gerar algum resultado satisfatório, porém não penso que seja a melhor solução. Em países onde a taxa de natalidade já é baixa essa medida traria diversos transtornos no que se diz à reposição da população que trabalha. Além do mais, isso interferiria na liberdade das famílias de decidirem a quantidade de filhos que gostariam de ter.
    Acredito que a França está certa em cobrar tais impostos, mas essa medida deveria ser para todos os setores. Essa tipo de iniciativa colabora e muito para a conservação do meio ambiente. Penso que Índia e Brasil, assim como outros países, também deveriam tomá-la para que todos pudessem se concientizar da importância da preservação para o nosso futuro.

    ResponderExcluir
  17. Graziela Pentean Bessa - 2CM1terça-feira, outubro 27, 2009 10:34:00 PM

    Acredito que, se feito de forma correta, o controle da natalidade pode ajudar sim na redução de poluentes e preservação do meio ambiente, além de melhorar a economia do país. A maneira correta seria ver a situação economica de cada país, a sua taxa de natalidade, e planejar de acordo com ela. Claro que países desenvolvidos com baixa taxa de natalidade não seria um bom método, pois pode reduzir ainda mais e afetar futuramente a PEA. Porém, países como Índia e Brasil poderiam adotar esse meio, pois como já citado, haveria posteriormente enormes benefícios para o país. No caso da Índia ajudaria ainda mais, devido ao inchaço urbano.
    Já a cobrança de impostos sob a emissão de gases é outro meio, porém esse deveria ser aplicado somente em países já desenvolvidos, com uma economia estável. Se aplicado em países subdesenvolvidos, pode prejudicar as indústrias locais que tentam se desenvolver.

    ResponderExcluir
  18. Apesar de não ser a melhor solução para a preservação do meio ambiente, acho que esse controle de natalidade iniciada pela França pode ser um bom começo para uma melhor conscientização das pessoas mais carentes em informação; já que as leis e acordos não são levados tão a sério. Ajudaria os países subdesenvolvidos(Brasil e India)uma vez que a própria população emite exageradamente gases poluentes(CO2, CO, Pb, SO2, por exemplo). Mas essa taxa de imposto deveria ser cobrada a todos sem exceção: residencias, industrias, fabricas, entre outros; e a quantidade deveria variar conforme a quantidade de emissão desses gases, assim haveria uma maior igualdade.

    ResponderExcluir
  19. Lucas Disposte Pontes - 2CM2quarta-feira, outubro 28, 2009 4:52:00 PM

    [b]Poderia ser uma solução sim, além de trazer outras vantagens, especialmente em países pobres e com elevada população, porém a atenção é necessária para que a taxa de natalidade seja regulada(que não fique tão baixa) ou poderá trazer outros problemas relacionados, como por exemplo, na Islândia onde ocorre o descréscimo da população. Outra solução bastante viável é o aumento dos impostos proporcionais à quantidade de emissão de gases tóxicos e causadodes do efeito-estuda na atmosfera, uma vez que aumentado essas emissões diminuirão significativamente.[/b]

    ResponderExcluir
  20. vestibular chegando e eu to super preparado...

    pra fazer a feciarte!

    viva o merchan do coc!

    foda-se a materia! apostila 3 rules!

    ResponderExcluir
  21. acho que seria bom mais no brasil nao daria certo

    ResponderExcluir

Todos os comentários são livres e individuais, desta forma de total responsabilidade de seu autor!

Regras básicas:
- seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- comentários ofensivos ou de mau gosto serão excluídos;
- se quiser deixar sua URL ou seu email use a opção openID;
- aproveite e inscreva-se no blog do Geografando.

Sua opinião e contribuição são sempre importantes!!